PlayStation 3 -- Star Wars: The Force Unleashed

22/09/2008 13:09

Com exceção da franquia "Lego Star Wars", "Star Wars: The Force Unleashed" é o primeiro jogo da série desenvolvido para a atual geração de consoles. É também o principal produto de um projeto que compõe um romance e até quadrinhos, os quais exploram os eventos ocorridos entre o terceiro e quarto episódio da série, cujo foco é a história de um aprendiz do lorde Darth Vader encarregado de aniquilar os guerreiros Jedis que sobreviveram ao extermínio liderado pelo imperador Palpatine.
 

Durante seu desenvolvimento, "The Force Unleashed" ganhou notoriedade entre os entusiastas dos games por sua tecnologia, que emprega motores avançados de animação e simulação de física para dar ao jogador a sensação de manipulação da Força, o superpoder dos Jedis. Embora cumpra em partes com o prometido, oferecendo cenas de ação de cair o queixo e uma mecânica bastante robusta, o jogo está longe de ser aquele clássico instantâneo que muitos esperavam, ainda que seja, talvez, o melhor jogo de ação em terceira pessoa já criado para a série.

O lado negro da Força

Na pele do anti-herói de codenome Starkiller, cuja voz e aparência foram emprestadas do ator Sam Witwer (do filme "O Nevoeiro"), o jogador tem em mãos, literalmente, todo o poder da Força: a super-habilidade dos Jedis de controlar objetos pelo espaço à longa distância, criar fortes ondas propulsoras ou mesmo lançar rajadas de raios elétricos. Há ainda o sabre de luz, com o qual é possível desferir golpes mesclados com os poderes da Força, além das habilidades de pulo e locomoção aérea.

Embora o enredo, apresentado na forma de seqüências animadas pré-renderizadas, seja um pouco apressado, devido até pela curtíssima duração do jogo (que dura em média oito horas), ele é bem desenvolvido e capta o clima narrativo dos filmes da série, apresentando personagens carismáticos. O jogo, inclusive, entra para o cânone oficial da série e, sendo assim, apresenta algumas cenas grandiosas, imperdíveis para os entusiastas.

Antes de encarnar na pele de Starkiller, você começa jogando como o próprio Darth Vader, numa fase que serve para introduzir o jogador à mecânica do jogo, tal como mostrar o poder dos motores gráfico e de física de "The Force Unleashed". Com o uso do poder telecinético é possível mover um objeto ou inimigo pelo espaço, utilizando a combinação dos direcionais analógicos para movimentá-lo para qualquer direção, lançá-lo em alta velocidade contra oponentes ou simplesmente soltá-lo em um abismo para que a gravidade cuide do resto.

Contudo, embora a mecânica auxilie o jogador em travar a mira nos inimigos mais próximos durante o lançamento, nem sempre a mesma é satisfatória. Além disso, é comum haver lentidão na taxa de quadros quando um grupo de inimigos é atingido em cheio, principalmente se houver explosões ao redor, o que pode ainda fazer com que a tela congele por alguns instantes. Apesar dos probleminhas, a brincadeira de lançar coisas pelo ambiente parece nunca se desgastar, visto que os cenários são repletos de objetos manipuláveis, de diferentes formas, tamanhos e pesos.

A animação dos inimigos durante a levitação também impressiona, devido o grau de realismo dos movimentos. Eles se debatem, tentando se livrar da força sobrenatural, e se agarram em objetos ou em outros inimigos sempre que possível, gerando situações no mínimo cômicas e inusitadas.

Em momentos mais caóticos a melhor opção é atacar com seu sabre de luz e rajadas de eletricidade, uma vez que quando atingido, sua habilidade de telecinese é cancelada. Além destes, há alguns poderes especiais, como o lançamento de seu sabre de luz, imitando um bumerangue, a criação de uma barreira de energia ao redor do personagem, que funciona como um escudo temporário e a formação de um tremendo campo de impulso que impele em alta velocidade qualquer objeto ou inimigo em sua volta.
Todas essas habilidades consomem Força do personagem, medida através de uma barra, assim como a de saúde do jogador. Enquanto o medidor de Força é carregado automaticamente com o tempo, a de saúde é aos poucos preenchida a cada inimigo aniquilado.

Brincando de Jedi

"The Force Unleashed" tem uma mecânica clássica de ação em terceira pessoa com elementos de jogos de plataformas e RPG. É notável a influência de "God of War" no jogo da LucasArts, que emprega até mesmo as ações de contexto, em que você deve pressionar botões em seqüência para aniquilar inimigos gigantes, como os robôs bípedes do Império Galáctico, ou finalizar uma batalha contra chefes.

Com seu progresso no jogo, seu personagem vai ganhando pontos de evolução, que servem para "comprar" novas habilidades, golpes para seu sabre de luz e aprimoramentos, como mais resistência a danos ou um nível maior de saúde e Força para seu personagem. A exploração também ganha um papel importante devido a grande quantidade de cubos holográficos espalhados pelas fases, geralmente escondidos em lugares secretos, que também lhe garantem pontos de evolução ou destravam alguns extras, como diferentes cores para seu sabre de luz. Tudo isso, somado aos dois diferentes desfechos para a história, serve de incentivo para que o jogador inicie uma nova partida ao chegar no final - até porque, o jogo é bem curto.

A câmera é funcional e raramente lhe prega peças. O que mais incomoda é que o cenário, geralmente bastante rico, amplo e detalhado, às vezes engana o jogador, dando a impressão que determinada plataforma pode ser útil quando é apenas um enfeite ou mesmo fazendo o jogador cair em armadilhas ou abismos.

É possível manipular quase todos os objetos espalhados pelos cenários, incluindo plantas e partes metálicas das paredes das bases imperiais, o que é um atrativo impressionante. Você pode até desmontar estruturas grandes e utilizar suas peças para utilizar contra os inimigos. Criar armadilhas, como destruir as janelas de vidro de uma nave para fazer com que o vácuo sugue os inimigos para o espaço ou eletrocutar raízes para desencadear movimentos bruscos em plantas é sempre divertido.

Produção de alto nível

Para um jogo que levou alguns anos para ser desenvolvido, ainda falta polimento. As batalhas contra os chefes geralmente são bastante atrapalhadas, devido à câmera que tende a ficar em uma posição fixa e às fórmulas mal elaboradas para derrotá-los. Além disso, é comum presenciar "bugs" durante o jogo, desde objetos que somem sem motivo aparente até os terríveis congelamentos de tela, que obrigam o jogador a reiniciar o console. Felizmente o sistema de salvamento automático faz com que nessas situações o jogador tenha que, no máximo, voltar ao último checkpoint da fase.

Certos pontos do jogo também se mostram bastante desequilibrados, obrigando o jogador a enfrentar dezenas de inimigos simultaneamente mas dando poucas opções realmente efetivas de combate, já que muitos oponentes são resistentes à Força ou mesmo aos golpes de sabre de luz.

O visual de "The Force Unleashed" é de encher os olhos, graças a uma direção de arte magnífica, equiparável a jogos como "Bioshock" e "Uncharted: Drake´s Fortune". Além da riqueza de detalhes, os cenários captam todo o clima dos filmes de "Star Wars", apesentando fases em fortalezas espaciais, planetas exóticos e até em um mundo coberto de lixo.

Todos os elementos gráficos foram trabalhados com muito esmero, como a iluminação incrivelmente realista, texturas em alta definição, que simulam aparência e brilho com precisão e modelos de personagens bem definidos. Tudo isso, aliado à grande quantidade de objetos e detalhes simultâneos presentes na tela, coloca o jogador em ambientes belíssimos e bastante imersivos. O resultado é o jogo mais bonito já feito para a série e uma experiência imperdível para os fãs.

Ainda assim o jogo não está livre dos "pop-ups" (objetos que aparecem repentinamente no campo de visão do jogador) e quebra na taxa de quadros da animação, mas são problemas que felizmente não interferem na experiência do jogador.

A parte sonora traz o mesmo padrão de qualidade e abusa das músicas e efeitos sonoros já conhecidos através dos filmes da série, com as composições majestosas de John Williams e os inconfundíveis sons emitidos pelos golpes com o sabre de luz, disparos dos Stormtroopers e mais. As dublagens também estão excelentes, e reforçam o carisma e personalidades do protagonista, vilões e personagens secundários, alguns já conhecidos, como a Princesa Léia.

CONSIDERAÇÕES

"Star Wars: The Force Unleashed" não é exatamente o clássico instantâneo que muitos esperavam, mas cumpre o prometido com uma mecânica bastante sólida de ação em terceira pessoa, agregando elementos dos jogos de plataforma e RPG com sucesso. É uma experiência tipicamente "single-player" e, por mais curta que seja, é bastante intensa e divertida. Mesmo com seus problemas, é um jogo muito bom, que pode ser apreciado tanto pelos fãs mais ardorosos quanto por quem não está nem aí para a série.

Fonte:http://jogos.uol.com.br/playstation3/analises/starwarsnextgen.jhtm

Voltar

Pesquisar no site

© 2008 All rights reserved.